top of page

Primeiros passos na Advocacia: Por onde começar?

Atualizado: 19 de nov. de 2021

Quando estamos na graduação, temos pensamentos constantes: “como é que eu vou fazer para começar a advogar?”, e “quando eu pegar a minha carteira da OAB, o que que eu faço?”.


Hoje eu vou apresentar 4 pontos de atenção para você que está começando na advocacia, que está migrando de área ou sentindo que você travou na sua carreira. E, convenhamos, ninguém quer ser aquele profissional que tem potencial, mas continua fazendo as mesmas coisas atendendo os mesmos clientes e, ganhando a mesma quantidade de dinheiro de quando começou a advogar.


É importante, além de saber como começar na advocacia, você que está nela há algum tempo, saber medir seus resultados. Por exemplo, de acordo com especialistas, uma empresa saudável deveria crescer 10% (dez por cento) a cada ano. Se você é um profissional autônomo, é importante se equiparar a essa meta e ter noção do crescimento da sua advocacia, isso é empreender.


Nós aprofundaremos neste assunto a seguir. Portanto, se você se identificou com algum destes cenários, eu te convido para ler este texto até o final. Vou te apresentar dicas que podem facilmente ser colocadas em prática para estruturar sua atuação jurídica. Acompanhe comigo.


SUMÁRIO



COMECE QUANDO ESTIVER PREPARADO


Uma decisão mal tomada no começo da sua carreira, ou em qualquer outra etapa, por melhor advogado que você seja, poderá trazer graves consequências. Abrir um escritório sem uma reserva financeira, sem planejamento, por mais que você tenha excelentes habilidades, elas não serão suficientes sustentar um passo como esse.


E então, você acaba desistindo da advocacia porque fracassou na parte empreender. Tenho certeza de que você conhece alguém nesta situação. Por isso, se você não está preparado para lidar com todas as responsabilidades, não abra seu escritório de imediato.


Antes de dar o importante passo de abrir seu próprio escritório, sugiro que você domine os pontos que eu vou te apresentar a seguir. Confira:


#1 CONHECIMENTO TÉCNICO


Parece óbvio, mas há profissionais que mantém o foco nas estratégias de conquistas o cliente, que negligenciam o conhecimento da matéria. Você precisa ter em mente que não adianta ficar produzindo conteúdo na internet, atraindo pessoas e, quando a pessoa estiver na sua frente, você não conseguirá resolver o problema dela.


Por isso, antes de saber se vender, você precisa saber advogar e dominar o conhecimento técnico necessário. Caso contrário, investirá conhecimento, tempo e dinheiro para aprender a conquistar clientes, depois investirá para atraí-las e você não saberá o que fazer com eles.


E, mais uma vez, uma ação mal planejada que te levará à frustração.


#2 EMPREENDEDORISMO JURÍDICO


Eu sei, para todos os lados que você olha, tem alguém dizendo sobre empreender na advocacia. Tenho de te dizer que, se você planeja estruturar seu próprio escritório, saber empreender será requisito básico.


Ao assumir as responsabilidades empresariais, precisará ter estratégias para manter o seu escritório funcionando. Desde atração até a fidelização dos clientes, você precisará ser intencional.


Particularmente, eu acredito que nascer numa família de comerciantes, me faz perceber determinadas coisas com mais velocidade ou com mais estratégia. No entanto, se essa não é sua realidade, não tem problema algum. Mas, esteja preparado para desenvolver sua visão empreendedora.


#3 SABER GERIR SEU NEGÓCIO


A partir do momento em que você abrir o seu escritório, precisará gerir pessoas (clientes, colaboradores, fornecedores), dinheiro, processos, por exemplo.


Além disso, você terá que tomar decisões que vão impactar em alguma área importante e precisará saber gerir essa situação. Nos últimos dias, por exemplo, percebi que a empresa que contratei para fazer a contabilidade do escritório, na verdade, estava cometendo erros consideráveis.


Precisei analisar o cenário e gerir a situação, que envolve pessoas, dinheiro e a saúde do meu escritório. Percebe como faz sentido tudo o que falamos até agora sobre estar preparado para abrir o próprio escritório?


E eu tenho de te dizer que a forma como realiza a gestão da sua vida pessoal diz muito sobre como será na sua empresa que é, consideravelmente, mais complexa.


#4 LIDAR COM AS FINANÇAS DO ESCRITÓRIO


Precisamos dividir as finanças em duas partes: pessoal e profissional. Para começar sua advocacia você precisa estar financeiramente preparado nessas duas vertentes, porque você não vai abrir a empresa hoje e, amanhã, ela te dará rios de dinheiro.


Seria uma maravilha, não é assim que as coisas funcionam. Vai demorar um pouco e você precisa se preparar para isso.


Pense comigo: você vai montar seu escritório, não tem um espaço físico, então terá que fazer um contrato de locação, talvez um espaço simples, por um valor mensal que você acredita que vai conseguir pagar. Só que terá que contratar um pintor, pois as paredes estão desgastadas, precisou comprar uma mesa, uma cadeira para poder trabalhar, precisou contratar um plano de internet.


Enfim, você fez o básico necessário para começar sua pequena empresa na advocacia, mas não se preparou financeiramente nem pessoal e nem profissionalmente. Se o seu primeiro mês não tiver clientes, tudo se torna uma bola de neve. E essa é uma das maiores causas que levam advogados a fecharem seus escritórios logo no primeiro ano: falta de preparo financeiro.


Então, tenha seu planejamento, não se desespere acreditando que tudo se resolverá no primeiro mês.


NÃO TENHA MEDO DE SE ESPECIALIZAR


As pessoas precisam saber qual é o problema que você resolve. Se você é o profissional que fica sempre no raso e não mergulha em nenhuma matéria e conhecimento específico, não tem um nicho bem definido, o caminho que você percorrerá será sempre de desvios.


Não estou dizendo que ele nunca te levará a bons resultados, mas, as chances de que você gaste o dobro ou o triplo de tempo de quem escolheu se especializar, é significativa.


As tentações para você desviar do seu caminho, serão muitas. Sempre surgirá um familiar, um amigo, o amigo de um amigo, com situações e causas que fogem da sua especialidade. E então, você decide se especializar em Direito Imobiliário, surge aquele amigo com uma causa trabalhista e o tempo que você deveria dedicar para estudar, atuar e conquistar clientes na sua especialidade, terá que dedicar a aprender Direito do Trabalho.


Percebe que nem todas as oportunidades são, de fato, BOAS oportunidades? E você precisa ficar atento sobre todas as decisões que você tomará ao longo da sua carreira, em qualquer ponto que estiver.


VOCÊ NUNCA ESTARÁ PRONTO PARA TUDO


“Mariana, você disse que eu só posso começar quando estiver preparado e, agora, que eu nunca estarei pronto? O que isso significa?”


Calma! É bem simples. Preciso que você perceba a diferença entre preparado e pronto. Como a própria palavra nos remete, estar “preparado” é saber que você tem um bom preparo para lidar com os cenários adversos, e falamos sobre vários exemplos acima. Por outro lado, “pronto” é quando você pensa “eu não preciso fazer mais nada, agora eu jogo a minha sorte para o destino, sento aqui na minha cadeira e espero os meus clientes virem”. E então, continua fazendo a mesma coisa, do mesmo jeito, ganhando a mesma quantidade de dinheiro. E, felizmente, esse cenário não existe na advocacia.


Portanto, você precisa estar sempre disposto a enfrentar os cenários, se adaptar às mudanças, estar atento às tendências, inovações e entender que sim, o aprendizado é contínuo. Afinal, vivemos em um país, onde a legislação sofre alterações frequentes, e você não pode pensar que basta aprender uma vez e “pronto”.


Assumir esse pensamento de que a sua advocacia precisa de um olhar constante e atento vai te manter sempre seguro e “preparado” para construir sua carreira.


UM OBJETIVO É FORMADO POR PEQUENAS METAS


Eu não sei você, mas, tudo que eu faço e me proponho a fazer, me leva a algum objetivo. E entendi com o tempo que um objetivo significa que teremos de cumprir muitas e pequenas metas alcançáveis e palpáveis antes de chegar aonde queremos.


Minha dica final para você que está construindo sua carreira na advocacia, seja do zero ou a partir de uma nova perspectiva, é “quebrar” pequenas metas, sejam diárias, semanais, mensais e, até mesmo, anuais. Isso dependerá, obviamente, do seu propósito, o que você deseja alcançar como resultado.


Entenda que o processo é necessário e que você não deve negligenciá-lo e, menos ainda, ter sempre uma desculpa para não dar o próximo passo.


Não seja a pessoa que está sempre com uma justificativa pronta diante das oportunidades de crescimento e, mais do que isso, tome cuidado com pessoas assim. Enquanto você não levar a sério as suas metas, os seus objetivos, você continuará estagnado e sem saber por onde começar.


Então, agora que você chegou até aqui, tenho certeza de que conseguirá olhar para o seu propósito de carreira e entender como dar os seus primeiros passos. Pegue um papel, um iPad ou qualquer outra ferramenta que te permita listar seus objetivos e as pequenas metas que você precisa cumprir até lá, sem desculpas.


Não se esqueça: construir uma carreira, em qualquer que seja a área, demanda planejamento, estratégia e PROPÓSITO.


Esse conteúdo foi útil para você? Compartilhe com um colega e deixe sua opinião nos comentários.


AULAS GRATUITAS SOBRE EMPREENDEDORISMO E CARREIRA JURÍDICA


Toda quinta-feira, às 17h, no meu canal do YouTube eu converso com advogados sobre advocacia. Na nona aula, eu falei sobre propósito e carreira para quem está começando agora, migrando de área e/ou buscando uma nova perspectiva de atuação.


Inscreva-se no canal para acompanhar as aulas semanais!





1.188 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page